domingo, 20 de agosto de 2017

Amarração Poderosa Para Trazer O Seu Amor

Assista no vídeo abaixo como fazer você mesmo uma amarração poderosa e infalível, para trazer seu amor até você.  *Vídeo depois da publicidade*

sábado, 13 de maio de 2017

Feitiço simples para "adoçar" alguém.

 Voltei neh, ok, então fui dar uma olhada nas estatísticas do blog e não foi surpresa nenhuma ver que o post com o maior número de visualizações é o post sobre amarração, 15 mil! E eu que era acostumada a ter 100...rss
 Mas então, este tipo de magia é de longe a mais procurada, assim como quem joga tarô sabe que a maioria das pessoas quer saber da vida amorosa antes de qualquer coisa. Pensei bastante sobre colocar aqui um ritual de amarração, e decidi por uma questão de responsabilidade não fazer isto, se você realmente acreditar que precisa, conte sua história nos comentários e deixe seu email no final, dependendo do caso eu passo uma amarração.
 Já que não vou escrever (agora) sobre amarração, vou ensinar algo mais simples e menos manipulativo, um adoçamento.

O que é um adoçamento? É um feitiço cujo objetivo é fazer com que aquela pessoa pense em você e seja doce e amorosa contigo. Isso NÃO significa que ela vai te amar ou se apaixonar, significa que ela vai desenvolver um carinho a mais por você, ficar mais mansinha e propícia às suas investidas. Então vamos a isto!

Como em qualquer feitiço/ritual de amor, é extremamente importante que a sua vibração esteja compatível com o objetivo, ou seja, você tem que estar com uma energia mais leve e o foco do seu pensamento deve ser em viver momentos felizes com a pessoa que você quer adoçar, você precisa pensar com muita força nesta pessoa se aproximando de você, sendo amorosa, gentil e doce.



Você vai precisar de:

- Uma maçã bem grande e bonita
- Mel
- Papel
-Lápis vermelho
-Canela em pó
-Fita de cetim vermelha

Numa sexta feira de Lua Cheia (pode ser de dia, desde que esteja na fase cheia da lua), pegue a maçã e corte a parte de cima formando uma espécie de tampa, então retire a parte das sementes e um pouco do miolo, mas não tudo, é importante que ainda reste um pouco da polpa. Escreva o nome da pessoa 7 vezes no papel, sempre mentalizando ela sendo amorosa com você, então enrole/dobre o papel e coloque-o dentro da maçã, coloque um pouco de canela em pó em cima (uma colherinha de chá basta), em seguida preencha a maçã por completo com o mel, tape a maçã com a parte que havia cortado e amarre-a (na vertical) com a fita de cetim, prendendo a tampa ao resto, dê 9 nós na fita e a cada nó repita este encantamento:
 "(diga o nome da pessoa), eu te adoço, que seu coração se alegre na minha presença, que seu pensamento venha a mim, que eu te desperte doçura, carinho e gentileza. Assim eu digo, assim se faça!"

 Deixe esta maçã num jardim bonito, num campo com flores ou em ÚLTIMO caso no pé de uma árvore frutífera que esteja florida ou com frutos. Pronto, está feito, agora é só esperar! Lembre-se, quando mais forte for sua vontade, sua mentalização e sua fé, mais forte será o feitiço e melhor será o resultado.
 Boa sorte com seu amor!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Quando a Deusa chama...de novo.

 Bom, eis que eu abandonei o blog por quase 5 anos. Esqueci-me por completo como era prazeroso escrever minhas singelas impressões aqui. Este afastamento foi consequência de um afastamento meu da magia, consequência de uma vida bem mais turbulenta que a que eu tinha quando comecei o blog. Fui deixando que a bruxa em mim adormecesse, hibernasse, sem perceber que todos os outros aspectos da minha vida também começaram a adormecer, a estagnar. Entendi que deixar de lado algo tão importante, deixar de lado parte do meu ser, não poderia resultar em nada bom, mas mesmo assim estive à beira do ceticismo.
 Em um dia qualquer, quando me encontrava bastante deprimida, me perguntando o que diabos eu estava fazendo com a minha vida e pensando em desistir (de tudo, literalmente), entrei no Spotify e cliquei numa lista de reprodução cheia de músicas tristes, pra mergulhar mais fundo na foça, esperei pela voz da Dido Armstrong cantando "Life for rent", mas em vez disso, foi outro som que invadiu meus ouvidos, o som de um piano, seguido por uma voz doce, de imediato fui conferir que música era aquela e então percebi que de alguma forma havia clicado numa lista esquecida e que o modo aleatório da reprodução selecionou aquela canção como primeira. Ia mudar (eu realmente não tinha ânimo para ouvir nada que não fosse tão depressivo quanto meu estado de espírito), mas então comecei a prestar atenção àquelas palavras, eu conhecia aquela música, mas nunca tinha ouvido de verdade a mensagem dela. Desta vez eu ouvi, ouvi e chorei como um bebê, ouvi uma dezena de vezes chorando até me acalmar. A mensagem foi incrivelmente impactante, acolhedora, eu realmente senti que "alguém" ouviu os meus lamentos por todos estes anos.
 Depois deste episódio, comecei a voltar a olhar para aquela bruxa que tinha sido deixada de lado, voltei a olhar pra mim, e ao olhar pra dentro de mim pude ver minha divindade despertando novamente. Estou voltando aos estudos, à prática, às meditações, ao sacerdócio, e por que não, a escrever?
 É uma nova fase e quero registrar um pouco dela aqui, ainda que ninguém leia, escrever sobre estes novos caminhos me fará bem.
 Deixo abaixo a tradução e o link da música "Almost a whisper" de Yanni & Michelle Amato, o som que me chamou de volta à magia.




Almost a Whisper (tradução)

O som de tentar aguentar firme - quase um sussurro
O suspiro de um coração partido - um choro silencioso
A chuva no seu rosto
Traz a seriedade e a graça
E suavemente você começa a respirar de novo

Eu não tenho todas as respostas para suas orações tristes
Mas se eu pudesse lhe daria asas de anjo
Para ir onde a esperança é encontrada
Com a força para ir além
E trazê-la como uma canção sobre o vento

Por favor, não desista
Por favor, não desista
Porque eu acredito
Sim, eu acredito
Eu ainda acredito ... em nós

O som de tentar aguentar firme - quase um sussurro
O suspiro de um coração partido - um choro silencioso
A chuva no seu rosto
Traz a seriedade e a graça
E suavemente você começa a respirar de novo.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Feitiços amorosos e amarrações, como funcionam?

Oi, você vem sempre aqui?Se a resposta é não e você chegou até o blog através de uma pesquisa no Google sobre amarrações, por favor, leia até o fim, este post é especialmente pra você, querido recém chegado leitor.
Feitiços para fazer com que alguém fiquei com você e amarrações são os chamados feitiços manipulativos, ou seja, eles induzem alguém a fazer algo independente de sua vontade e desrespeitando seu livre arbítrio. Sempre é necessário alguma coisa que pertença à pessoa ou alguma referencia a ela como uma fotografia, para que a energia seja direcionada corretamente.
E o que acontece?
Bom, a pessoa se sentirá atraída por você, como um magnetismo, ela não saberá o motivo do interesse repentino e se a amarração for boa, ela não se questionará quanto a isso por um bom tempo.
Mas que uma coisa fique bem clara: Nenhum feitiço, ritual, macumba ou simpatia no mundo pode fazer com que alguém ame você. Ele(a) ficará ao seu lado, mas isso não significa amor. Por este motivo sempre vemos anúncios de "trago a pessoa amada em 3 dias" e nunca "faço a pessoa te amar em 3 dias", e se você ver algum desse ultimo, fuja pras colinas, alguém quer se aproveitar de você.
Imagine-se amarrando uma pessoa a uma árvore com uma corda. A vítima não vai amar a árvore por isso, a menos que ela deseje isso, e se ela precisou ser amarrada provavelmente ela não quer isso, mas ela ficará lá até a corda afrouxar. Pois é, a corda sempre afrouxa e até arrebenta, amarrações não duram pra sempre e você teria que refazer ou fazer uma diferente de tempos em tempos.
Eu tenho um grande amigo que foi casado por 7 anos, neste período se afastou da família, dos amigos e de todas as atividades que costumava fazer antes, não foi feliz durante o casamento mas permaneceu casado, até que a esposa e o filho viajaram e ele precisou vasculhar a casa procurando um objeto, o que ele encontrou foi uma trouxinha com uma camisinha usada, uma calcinha da esposa também usada, o nome completo dele e mais algumas coisas bizarras, ele, que entende um pouco de magia, logo percebeu o que era e continuou revirando a casa, foram encontrados mais 6 feitiços, provavelmente a esposa fazia um a cada ano, ele ficou chocado (e quem não ficaria?) e nada disse a ela, apenas se livrou daquilo. Pouco tempo depois ele já não conseguia estar ao lado dela, não via sentido e percebia o quanto estava infeliz, pelas palavras dele "foi como se eu tivesse despertado de um transe". Divorcio.
 Eu não conheço nenhum casal fruto de amarração que tenha durado mais que uma década. Mesmo assim, é muito tempo para que você permaneça numa relação de mentirinha.
 Mas por que você precisa de um feitiço de amor? Caro leitor, se a pessoa amada não corresponde aos seus sentimentos provavelmente esta relação não é para acontecer e você pode estar impedindo que esta pessoa seja feliz e SE impedindo de estar livre para outro alguém que realmente ame você.
 "_Mas e você, blogueira metida a bruxa, aposto que já fez uma macumbinha pra algum namorado e fica aí dando conselho torto!"
 Pois é, eu já fiz, lá pelos meus 12 anos, um feitiço retirado de uma dessas revistas de simpatia do João Bidu, geralmente não damos importância a estas publicações e de fato a maioria delas só trás baboseiras que não funcionam, mas vez ou outra aparece um que dá certo e cai em mãos erradas (tipo uma pré-adolescente com paixonite aguda). Eu era apaixonada por este rapazinho e ele sequer me olhava e em vez de buscar consolo com minhas amiguinhas eu fui atrás dos livros de minha mãe (se você tiver filhos entre 12 e 18 anos não deixe material que ensine magia vermelha ao alcance deles) e fiz o tal feitiço, sem a menor noção do que realmente estava fazendo, bom, nada aconteceu, pelo menos não durante os DOIS ANOS seguintes. Quando eu já não estava mais interessada no rapaz eis que ele subitamente desenvolve uma atração por mim, achei estranho já que mal nos falávamos, eu nunca fui das mais bonitas da turma e sempre haviam outras garotas rondando ele, então me lembrei, mas não poderia ser, já fazia dois anos! Mas era. Lendo o diário daquela época descobri que havia feito o feitiço num sábado a tarde, dia regido por Saturno e não duvido que tenha sido entre 14h e 15h, horário regido por Saturno, e este planeta é ideal para grandes planos, coisas duradouras como compra de casa e carro, coisas a LONGO PRAZO, já que saturno gira beeeem devagar. E foi esta energia que se instalou no que eu fiz e então eu tinha que lidar com o pobre rapaz apaixonado artificialmente.
Depois deste episódio o máximo que me atrevi a fazer em relação a feitiços amorosos foi interferir em mim mesma, pequenos macetes mágicos para que você se torne mais radiante, mais atraente e mais amável, mas nada que interfira no livre arbítrio de ninguém e ISSO eu posso ensinar, se você voltar aqui depois.
 Pense bem antes de amarrar alguém a você, não vale a pena viver algo que além de não ser real ainda tem um curto prazo de validade.

EDIT: FIZ UM POST ENSINANDO A FAZER UM ADOÇAMENTO PARA A PESSOA AMADA, VOCÊ PODE ACESSA-LO AQUI.

Origem e história do Tarot


Muito se especula acerca das origens do tarô, a maioria dos estudiosos do tema concordam que provavelmente os 22 arcanos maiores foram criados separadamente dos 56 arcanos menores.
 Os jogos de cartas entraram na Europa através dos mamelucos da Pérsia, cujos jogos tinham naipes muito semelhantes aos naipes latinos, italianos e espanhóis: espadas, bastões, copas e ouros, porém sem as alegorias de significado.
 Os arcanos maiores, segundo os registros mais antigos encontrados, são oriundos do norte da Itália e foram posteriormente agregados às cartas do baralho árabe, possivelmente nesta junção é que foram criados os significados para os arcanos menores, que não são aleatórios. O sentido da carta é diretamente ligado ao simbolismo do naipe, ao elemento referente a cada naipe e à numeração, sendo as cartas de Copas do elemento água, referentes ao plano emocional, Espadas, do elemento ar, ao plano mental, Ouros, do elemento terra, ao plano material e Paus, do elemento fogo, ao plano espiritual. Todas as cartas numeradas seguem uma progressão em seu significado, sendo assim, todas as cartas 1 tem sentido de início,  todas as cartas 9 possuem sentido de término,
os 10 representam as resultantes do fim, o estágio pós término.
As 16 figuras dos arcanos menores – ReisRainhas (ou Damas), Cavaleiros e Valetes (ou Pajens), repetidos em quatro naipes — PausOurosEspadas e Copas — constituem personagens intermediários entre a abstração dos números — cartas de 1 a 10 — e os arcanos maiores com suas representações humanas e animais claramente diferenciadas entre si. As figuras ocupam, desse modo, um posto duplo no baralho: estão encadeadas à ordenação dos naipes e, ao mesmo tempo, fazem ponte com os modelos dos arcanos maiores. Embora repetidas em cada naipe, são muitas vezes consideradas como um terceiro grupo de cartas. Todas as cartas da corte representam pessoas.
Os 22 arcanos maiores, provenientes da Itália, podem ser numerados ou não, e mesmo quando numeradas as cartas não tem uma sequência facilmente compreensível, como acontece com os arcanos menores. Estes 22 arcanos representam ps aspectos que regem a vida humana e as energias que nos envolvem, como o Amor, a Morte e a Justiça, enquanto os arcanos menores representam situações.
 O tarô mais antigo de que se tem notícia é o Visconto-Sforza. A casa Visconti Sforza, que governava Milão no século 15, encomendou alguns jogos de tarô a artistas da época. Como testemunho disso sobreviveram cartas de 16 baralhos diferentes, que estão entre os mais antigos já encontrados. O mais completo deles, com 74 cartas das 78 originais, é chamado Pierpont-Morgan porque 35 de suas cartas estão hoje na biblioteca-museu Pierpont Morgan, em Nova York. (As demais cartas estão em duas instituições na Itália). São editadas atualmente pelo menos duas versões desse tarô:

Visconti-Sforza Pierpont Morgan

Trata-se de uma reprodução do tarô original conservado nos museus, e mantém inclusive o mesmo tamanho (maior do que o das cartas de hoje) e o estado das cores e desenhos (já desgastados). As 4 cartas que faltavam no tarô original foram recriadas. As cartas não têm nome. Exceto por isso, o baralho tem todas as mesmas características (quanto aos naipes, figuras etc) dos tarôs “de Marselha”, que aliás se supõe terem sido baseados diretamente nos tarôs do norte da Itália.As 4 cartas que faltavam no tarô original que chegou até nós, foram recriadas: o Diabo, a Torre, o Cavaleiro de Ouros e o Três de Espadas.


Tarô Visconti-Sforza (restaurado por A. A. Atanassov)

Trata-se de uma bela e fiel restauração do baralho original, que tenta apresentar as cartas como elas devem ter sido quando novas, inclusive com abundante uso de folhas de ouro. Parecem existir apenas duas modificações: o tamanho das cartas foi reduzido para o que se usa hoje, e as cartas ganharam nome – grafado em diferentes línguas na lateral esquerda.Um dos raros pontos discutíveis dessa restauração de Atanassov é a reinvenção do
Diabo (carta inferior, à direita) num padrão iconográfico incoerente com o estilo original.


Atualmente a enorme maioria dos tarôs seguem a estrutura do tarô de Marselha ou Rider Waite, que por sua vezes seguem o padrão italiano antigo, com alterações na icnografia e divergências (mesmo que pequenas) nos significados, visto que cada tarô é uma proposta de interpretação de quem o idealizou. Há também tarôs absolutamente diferentes em termos de estrutura, icnografia, número de cartas e significado como o Petit Lenormand, que deu origem aos baralhos ciganos modernos. Alguns tarólogos se recusa a chama-los de Tarot, chamando-os apenas de baralhos divinatórios, por não serem compatíveis ao padrão italiano, eu não vejo problema nenhum em toma-los por tarô.


domingo, 18 de dezembro de 2011

O Livro das Sombras


O livro das sombras (book of shadows),grimório ou livro de fórmulas é um livro onde a bruxa anota todos os seus procedimentos para viabilizar cada fórmula, os rituais, feitiços, experiências e informações que julgar importantes. Na antiguidade não era raro uso de linguagens cifradas afim de proteger os conhecimentos e o livro era guardado tal e qual um tesouro,pois qualquer falha na formulação podia trazer efeitos indesejáveis ou mesmo nocivos. Formulações com plantas venenosas e também curativas tinham medidas exatas e requeriam muito cuidado na manipulação dos ingredientes: uma dosagem um pouco maior poderia ser fatal, uma dosagem um pouco menor não produzia efeitos. No tempo da inquisição os grimórios foram queimados pelas própria bruxas e por isso muito pouco deles chegou até os nossos dias. Naquela época qualquer anotação da combinação de ingredientes com fins mágicos ou curativos encontrada com alguém constituía prova suficiente de que a pessoa era uma feiticeira e ela estaria destinada à fogueira. Assim sendo,as bruxas guardavam as fórmulas na memória e, tão logo lessem algum livro que circulava entre as feiticeiras, ou o passavam em frente ou o queimavam.
Hoje não temos mais este temos e, ao contrário de outrora, o livro das sombras geralmente não é compartilhado, mas sim guardado para uso exclusivo de seu dono podendo ser transmitido a filhos ou pessoas de confiança.
Como fazer?
Você pode comprar um pronto. Muitas pessoas usam cadernos comuns de capas neutras. É possível encontrar na internet livros prontos,com capas decoradas e bem trabalhadas e costumam custar entre 80 e 300 reais,dependendo da riqueza de detalhes, material, número de folhas. Seu livro deve trazer nele referencias a você mesmo,sabe aquele dito "o que não se parece com o dono é roubado"? Pois então, deixe ele que se pareça contigo. Quando decidi ter um BOS imediatamente me pus a procurar um artesão que o confeccionasse já que eu jamais havia feito um livro. Encontrei o "Tarô Sacro", vi fotos dos livros que faziam e gostei bastante do trabalho,enviei todas as informações sobre como o queria com imagens inclusive, me disseram que poderiam fazer por 250 reais, valor com frete incluso, eu sou taurina, cautelosa com dinheiro, mas fiz tantas exigências que achei o valor justo. Paga a mercadoria o combinado eram 15 dias até a postagem nos correios, coisa que só aconteceu quase dois meses depois. A esta altura eu já estava frustrada pois me enviaram fotos do livro pronto e não estava nada como solicitei, mandei que cobrissem com tecido brim preto ao menos. Neste meio tempo decidi fazer meu livro. Consegui as folhas de papel A3, a parte rígida da cama e sabia como o faria. Uma semana costurando folhas a mão (tarefa dolorosa já que ao todo foram 500 folhas,1000 páginas), medindo e cortando, bordei a mão na capa uma árvore que representa a minha forte ligação com a Terra que me sustenta,nutre e assegura; e a minha busca pelo crescimento,evolução,pelo Alto. Enquanto fazia me cortei e derramei sangue nele, pronto, estava assinado! É este que sempre uso e guardo com carinho e zelo numa caixa própria (também feita por mim). O outro,encomendado,continua no pacote.Gosto de escrever meu aprendizado, informações valiosas que adquiro por experiencia, rituais, feitiços que já fiz com anotações sobre resultados e ervas ressecadas. 
Circula na internet alguns livros das sombras prontos para download, com páginas decoradas, desenhos e ritos. Sinceramente, acho inúteis, é como basear a sua vida no diário de outra pessoa, no máximo eles podem ser usados como complemento. O valor de um livro das sombras está no conteúdo. É o seu caminho místico escrito ali. 
Acima,o livro feito por encomenda.
Abaixo,o livro feito por mim.

sábado, 8 de outubro de 2011

Minha história com Emma


Normalmente aos fins de semana não há muito que se fazer aqui,aquele era um sábado tão monótono quanto os outros,mas com um diferencial,a luz do dia estava deslumbrante,era inicio de tarde e a luminosidade era similar a do amanhecer. Pedi desculpas aos livros,me arrumei e fui ver o mundo lá fora. Peguei minha bicicleta,o mp3 jurássico,uma maçã e fui pedalar na universidade. Ainda não sei como aquela pobre maçã chegou inteira já que foi pulando e batendo na cesta por todo o trajeto. Gosto de percorrer os lugares que ainda não conheço,embora quase rodas as rotas terminem num lugar comum. Fui lá eu,passei pelas árvores,pelo lago e pelas flores cantando Feist,Zélia Duncan,Mafalda Veiga e Aimee Mann a altos brados,para a infelicidade de quem ouvia. Cheguei a grande área esportiva,com suas quadras,campos e piscinas,separando as quadras de tênis do asfalto há uma fileira de pinheiros num gramado e bancos de troncos,parei por alí,bem no meio das grandes árvores. Sentei-me num dos troncos com minha maçã e senti o vento,esse sofro ficou gravado,pois parecia seda envolvendo meu corpo. Fechei os olhos e apenas fiquei,até me sentir parte daquilo,aquela paisagem bucólica,o sol fraco e gentil,as formigas me fazendo de atalho e as folhas balançando. Tive neste momento uma das mais profundas sensações de paz de minha vida. Os sons eram calmos...o vento,as folhas,as crianças ao longe brincando. Senti-me imensamente grata a Deus tudo. Abri os olhos quase em alfa,respirei mais um pouco a tranquilidade e abocanhei a maçã. Abracei  um dos pinheiros que apesar da casca grossa só me fez carinho e me veio um pensamento: Eu gostaria de ter um cachorro aqui.  Sim,um cachorro,não desejei alguém querido,uma câmera,um lençol pra deitar,nada disso,queria apenas um amigo de quatro patas. Fiquei mais um pouco,despedi-me e fui embora. Bem perto dalí, na estrada com gramado dos dois lados avistei algo correndo em minha direção,não tenho boa visão então realmente não sabia o que era num primeiro momento,parei a bicicleta e esperei,uma cadelinha parda foi chegando e parou há uns dois metros de mim,sentou-se e fez cara de paisagem. Eu andei um pouco mais,ela acompanhou e sentou-se novamente à mesma distancia. Era comigo mesmo. Chamei-a pra perto,ela desconfiada veio devagar até se entregar a um cafuné. Fui pra grama com ela e ficamos alí um pouco. Como louca eu disse a ela que tinha de ir embora,montei na bicicleta e fui,ela me seguiu por uns 200 metros e novamente eu parei,ela também. Me olhou como quem convida pra uma prosa e eu atendi. Outra vez nós duas sentadas na grama,alguns garotos passaram por nós com cães em coleiras,ela rosnou e sem pensar eu disse: Emma!!  Ela parou,me olhou e parece ter gostado de seu novo nome. Emma veio mais pra perto,deitou-se atras de um afago e me fez companhia por cerca de 40 minutos. Éramos só nós olhando o tempo passar.
Virei-me para ela e expliquei que estava escurecendo e eu já ia,sem me importar nem um pouco com os olhares de quem passava. Levantei-me e fui. Desta vez Emma não me seguiu,só me olhou até eu desaparecer na curva.
Só então dei por mim do que houvera,eu pedi um cão e tive um. Talvez Emma também tivesse me desejado. Seguindo sua incrível coerência e sabedoria,o universo nos presenteou uma com a outra.
Nos dias que se seguiram comprei um pacote de biscoitos caninos e passei a andar com alguns na mochila. Em meu próximo encontro com Emma fizemos um piquenique (pelo amor de Deus,não pensem que comi os biscoitos caninos!) numa tarde de muito calor. Gosto de passar por aquele trecho pois quase sempre a encontro,e sempre nos cumprimentamos alegremente.
Pensei muito naquilo que peço a Deus todos os dias e cheguei à conclusão de que peço demais coisas que não preciso ter. Meu dia não precisa ter mais 10 horas,meu aluguel não precisa baixar mais,meu vizinho não tem que fazer silencio só porque eu estou de tpm. O que eu preciso mesmo é reclamar menos,cobrar menos e fazer apenas um pedido: Senhor,ajude-me a aproveitar o bom dia que me dá.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

As doces surpresas da Vida

O que um dia de inverno pode trazer? Um chuveiro queimado,um encontro adiado,novas pessoas....Mas hoje,o dia me trouxe algo bastante agradável,como a abelha que vem de longe para um jardim escondido. Poucos minutos e fui presenteada com a leitura de sonetos belíssimos,e não tive dúvidas,queria coloca-los aqui. Com a devida permissão,apresento-lhes o motivo de meu bom humor.Dois belos sonetos de Vanessa Castro.


O teu sorriso


O teu sorriso é sol desabrochando
Em fios d ouro ao resplendor da aurora
Aparecendo radiante exatamente quando
A universal pureza revigora.

É orvalho de doçura se espalhando
Que se evola e nunca se evapora
Alvinitente rosa que brotando
Junto do amora no paraiso mora.

O teu sorriso é um rio e mil cristais
Uniram-se as aguas q ele tem
E são teus labios fontes eternais.

Quando sorris do etereo os anjos veem
Talvez por desejarem até mais
Do que a fonte amavel deste bem.



Desejos

Essa manha desejo ter-te em meus braços
E te cobrir de afagos e desvelos
Perder os meus dedos entre teus cabelos
Após solta-los da prisão dos laços.

Desejo te abraçar e nos abraços
Os carinhos q fazes merece-los
Verte os olhos castanhos para lê-los
E decifrar de amor os meigos traços.

Desejo ouvir ao nos acharmos sós
No fluir delicado da sua voz
Ciumes tolos e conselhos sabios.

E para arrematar o meu desejo
Levar apos me dares o teu beijo
O que deixaste escrito nos meus labios.




Eu realmente me apaixonei pela suavidade,doçura e harmonia destes trabalhos,e isso me faz pensar nas portas que abrimos sem importância todos os dias. Os "Bom dia's" desenteressados,os "Olás" automáticos e os tantos outros pequenos gestos que,se melhor explorados,poderiam nos revelar uma infinidade de agradáveis surpresas. Esteja aberto ao que o universo pode lhe mostrar a cada dia,e lembre-se de que ele tem muito para revelar a quem se dispõe a parar e ver.

domingo, 26 de junho de 2011

Celebrando Litha

Litha (21 de junho para quem roda pelo norte e 21 de dezembro para quem roda pelo sul) é certamente um sabath de imensa luz,pois marca o auge do poder do sol,do Deus Carvalho,celebrado no maior dia do ano,o solstício de verão. Nele celebra-se o auge da juventude da Deusa e do Deus.

Shakespeare,inclusive,usou a temática de Litha em "Sonhos de uma noite de verão".

Na minha cidade natal a festa de São João é ceramente uma das mais esperadas do ano,sendo este o padroeiro do município tri-centenário.Gosto de observar os costumes mais antigos da festa e é clara sua origem,as bandeiras coloridas,fogueira e a dança descendem diretamente do festival de Litha. É um ótimo período para rituais que envolvam prosperidade,sucesso e dinheiro,e essa energia forte do Sol deve ser alegremente recebida e louvada,para que seja transmitida a tudo que toquemos. Pra mim,como bruxa,é um período muito forte,tudo corre depressa e vigorosamente e tento tirar o máximo proveito disto,investindo ainda mais nos planos pendentes. No dia 21 celebrei à minha maneira,porém hoje é que ritualizei com meu grupo de costume. Matar a saudade dos abraços calorosos (tanto quanto o sol) dos amigos da Arte e sentir forte a energia do ritual renovaram minhas energias.Baterias recarregadas e a todo vapor! Desejo a você (celebre Litha ou Yule) toda luz que recebi do Deus,e que a segunda metade do ano sempre tenha algo desta luz,mesmo que sejam épocas difíceis. Abra os braços pro sol e receba alegremente seu calor.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Meus oráculos.

Digo 'meus' porque não vou mostrar um artigo de pesquisa sobre as origens ou formas dos oráculos,mas da minha visão sobre eles.
Um oráculo,basicamente,é um objeto utilizado para obter conselhos,respostas ou inspiração do Alto,ou uma pessoa capaz de estabelecer esta comunicação com os seres supremos.
Eu,que não tenho um pingo de clarividência (graças a Deus),uso alguns artifícios,como baralhos,pêndulo,pedras,livro do destino...
Antes de escrever este post,fui consultar os principais focos para saber de sua opinião. Sim,pedi "permissão" para falar deles,o meu livro do destino foi o mais expressivo,aliás,deixe-me falar um pouquinho dele....o encontrei numa livraria comum,entre livros de maçonaria,fiquei em dúvida entre ele e o livro "Maria Madalena,a face feminina de Deus".Nos primeiros mêses me arrependi,não nos dávamos bem.As vezes ele me respondia,as vezes me ignorava,nunca o consagrei e nem pretendo,não sinto necessidade.Com o tempo nossa relação foi melhorando.Ele realmente tem uma personalidade,e parece meio insano dizer isso de um livro,mas é a verdade.Quando eu cogitei dar ele a outra pessoa,ele foi claro dizendo: "O planeta Jupter está em transformação e ORDENA que vc esqueça isto." Dei risadas disso.Ele nem sempre é direto,mas sempre dá um bom conselho. Então,quando eu o perguntei hoje se podia escrever sobre ele,a resposta foi: Fuja disto como o diabo da cruz. Ah,frustração! Dialoguei com ele,e sim,expliquei como seria abordagem e ele concordou. "Você deve ser branda."
Esta relação de amizade com um oráculo,por mais maluca que possa parecer,é extremamente importante. Cada instrumento é único para cada bruxa. E alguns não funcionarão com certas pessoas,eu por exemplo não me saio bem com oráculos que envolvem água,como as bacias,fogo,como nas velas e brasa,nem espelhos. Alguns outros,como ossos e búzios nunca me atraíram.
Além do livro,tenho três baralhos,usados em diferentes situações,sobre dois deles eu não gostaria de falar,o terceiro é um baralho de flores,lindo e com uma energia meiga que me lembra um conselho de avó. O comprei na compania de um grande amigo,Dragony,que gentilmente pagou minha passagem de ônibus já que eu gastara todo o dinheiro com as cartas. "É a sua cara",foi o que ele disse.
Uso o pênculo quase exclusivamente para encontrar coisas (o que é muito frequente já que nunca sei onde está nada) e identificar energias.
As pedras para questões mais físicas e materiais.
Outra coisa importante sobre oráculos é que vc não deve deixar qualquer pessoa (ninguém,de preferencia) manusea-los. Eles captam energia diretamente das mãos,uma energia desconhecida pode afetar o funcionamento e a harmonia. Eu detesto quando alguém toca os meus,especialmente porque eu deixo claro que não gosto disto e a pessoa ignora,mostrando total falta de conhecimento e desrespeito.
Para alguns,a limpeza e a consagração são funcamentais,como o pênculo e as pedras.E geralmente quando o tempo de uso deles já se foi,os próprios demonstram,com cartas e peças que somem rasgam ou quebram. Para o caso do tarô,o tempo máximo aconselhado é de 7 anos de uso,mesmo que ele esteja em bom estado.
Não existe nada que não possa ser perguntado,mas existem perguntas erradas. Como: Fulano me fará feliz? Creio que se o instrumento pudesse falar,ele diria: O que é felicidade pra vc? Então,é melhor algo como: Fulano me fará bem? E há questões cujas respostas não devem ser reveladas.
Qualquer oráculo pode ser fonte de sabedoria e auxiliar imensamente uma bruxa,mas deve-se ter em mente a instabilidade do 'futuro'. O tarô pode lhe dizer uma coisa hoje e outra totalmente diferente amanhã referente à mesma coisa,ou as previsões podem não acontecer,pelo simples fato de vc ter mudado suas atitudes.
Use aqueles que lhe foram afins,crie um elo.Faça dele um amigo.